Por: Samira Menezes –

A partir de lactobacilos vivos e leveduras se faz o kefir – a famosa bebida fermentada, originária da Rússia, com textura igual à do iogurte e considerada uma fonte importante de probióticos. “Os alimentos probióticos são aqueles ricos em bactérias do bem que produzem efeitos benéficos na flora intestinal e ajudam a tratar distúrbios intestinais, como prisão de ventre ou diarreia”, explica a química Conceição Trucom, do site Doce Limão.

Para fazer o kefir é simples: a única coisa que você precisa ter em mãos são os grãos de lactobacilos, que lembram pequenos buquês de couve-flor cozida de 3 a 35 mm de diâmetro. Em sites como www.probioticosbrasil.com.br é possível obter de graça esses grãozinhos, que se multiplicam rapidamente quando deixados de molho em leite vegetal (coco, arroz, soja, aveia) ou em água com açúcar mascavo – para cada colher de sopa dos grãos, adicione 250 ml de seu leite preferido. Depois de 24 horas de molho, esses grãos devem ser coados e o resultado dessa fermentação será o kefir, que pode ser batido no liquidificador com fruta fresca, agave ou melado e semente de linhaça, por exemplo – para quem sofre de prisão de ventre, essa receitinha caseira é perfeita. Em seguida, lave os grãos e deixe-os de molho novamente para produzir mais kefir no dia seguinte.

Como eles se multiplicam de um dia para o outro (de 5 a 15% de seu peso inicial), é provável que ao final de uma semana você tenha mais kefir do que consegue consumir. Nesse caso, guarde seu kefir na geladeira por uns dois dias. Quanto aos pequenos grãos gelatinosos, eles param de se multiplicar quando são mantidos na geladeira em um recipiente com água.

Mas tudo isso são só detalhes quando se fala dos benefícios do kefir: ação antimicrobiana, anti-inflamatória, cicatrizante e antialérgica são
só alguns deles.

Já em 1908, o biólogo russo Elie Metchnikoff, vencedor do prêmio Nobel naquele ano, sugeria que o kefir é capaz de dar alguns anos de vida a mais, porque a bebida neutraliza os efeitos da putrefação no metabolismo gastrointestinal.

Como um bom probiótico, o kefir ajuda o intestino a funcionar bem e isso é essencial para a absorção do cálcio e de outros minerais, pois eles serão absorvidos no intestino. Ele também dá uma mãozinha na produção de células de defesa, reduzindo assim o risco de câncer e outras doenças infecciosas. Por ser facilitador das funções intestinais, o kefir ainda ajuda o organismo a se desintoxicar de excessos e venenos, lembra Conceição Trucom, autora do livro Alimentação Desintoxicante (Editora Alaúde).

 

Se você quiser se aprofundar mais no assunto, uma boa fonte é o artigo em: www.senhortanquinho.com/kefir-o-que-e-beneficios-como-fazer-agua-leite/

 

Esse trecho foi retirado da Revista dos Vegetarianos, seção Matéria de capa, edição 81.