Mais do que ser suficiente para a nutrição, a alimentação livre de proteína animal chega a ser apontada pelos próprios atletas como responsável pelo sucesso.

Conheça os vegetarianos que se destacaram na história das Olimpíadas, quebrando recordes e paradigmas.

5º lugar Edwin Moses: Atletismo (EUA)
Conquistou duas medalhas de ouro e uma de bronze na modalidade de 400 m com barreiras. Quebrou duas vezes o recorde mundial e marcou a história após vencer 122 corridas consecutivas entre 1977 e 1987.

 
4º lugar Alexey Voevoda: Bobsled (Rússia)
Competindo no Bobsled, esporte que consiste em descidas cronometradas de trenó, o vegano conquistou quatro medalhas olímpicas, sendo duas de ouro. Ele foi considerado o atleta mais forte dos Jogos de Vancouver, em 2010.

 

 

3º lugar Murray Rose: Natação (Austrália)
Em apenas duas Olimpíadas (1956 e 1960), o nadador conquistou seis medalhas, sendo quatro de ouro, uma de prata e uma de bronze. Também bateu recordes em diferentes modalidades, desde 400 m a 1.500 m estilo livre. Por sua alimentação, ganhou o apelido de “Seaweed Streak” (“Alga raia”, em tradução livre).

2º lugar Carl Lewis: Atletismo (EUA)
Um dos mais conhecidos atletas veganos, Lewis competiu em provas de 100 e 200 m rasos, corridas de revezamento e salto em distância. Ganhou 10 medalhas olímpicas, incluindo nove de ouro e uma de prata, além de títulos e recordes em campeonatos mundiais. Foi eleito o “Esportista do Século” pelo comitê Olímpico Internacional.

 

1º lugar Paavo Nurmi: Atletismo (Finlândia)
O corredor conquistou 12 medalhas olímpicas, sendo nove de ouro e três de prata. Ele chegou a vencer duas das corridas, de 1.500 m e 5.000 m, em um único dia das Olimpíadas de 1924. É considerado um dos maiores corredores de longa distância.

 

 

 

 

 

Esse trecho foi retirado da Revista dos Vegetarianos, seção Ranking Veg, edição 109.