Autor: Samira Menezes –

 

A escritora chilena Isabel Allende foi talvez quem melhor definiu os afrodisíacos: “a ponte entre a gula e a luxúria”. Amante da boa mesa, ela supõe em seu livro Afrodite (Ed. Bertrand Brasil) que qualquer alimento natural, saudável, fresco, atraente para a vista, saboroso e leve pode ser um poderoso afrodisíaco.
 

A suposição de Isabel, felizmente, não é apenas criação literária de bom gosto. Existe sim uma base nutricional quando se fala em afrodisíacos, pois substâncias de certos alimentos, principalmente os de origem vegetal, podem dar um upgrade na vida sexual dos casais. “O que se sabe é que alguns alimentos possuem nutrientes que auxiliam no bom desempenho sexual ou que, devido ao seu aroma, podem despertar o poder da imaginação”, diz a nutricionista Roberta dos Santos Silva, do portal Cyber Diet. Um desses nutrientes é o zinco que, de acordo com a Dra. Natália Colombo, diretora da NCNutre, é um mineral fundamental para garantir os níveis adequados de testosterona – o hormônio masculino responsável por aumentar o desejo sexual tanto no homem como na mulher. Aqui é interessante lembrar que a testosterona é produzida no corpo delas, mas em uma quantidade menor do que nos homens.
 

“A testosterona é responsável pela ativação das redes do sistema nervoso que estimulam a atividade sexual”, diz Natália. “Processos bioquímicos que envolvem neurotransmissores e hormônios sexuais, como a testosterona, são fundamentais para o impulso sexual, que começa no cérebro.” Por isso, pessoas com alterações na produção de neurotransmissores, como as que sofrem de depressão, sentem menos desejo sexual. Outros fatores como idade também podem diminuir o apetite sexual, principalmente nas mulheres, que depois dos 40 sentem os efeitos da queda hormonal.
 

Mas claro que estilo de vida também conta. Hábitos saudáveis, como a prática de atividades físicas e alimentação vegetariana balanceada para garantir uma variedade maior de nutrientes, são armas eficientes. “Uma dieta rica em fibras e antioxidantes, e ao mesmo tempo pobre em gordura saturada e colesterol, colabora para uma melhor saúde vascular, o que favorece a irrigação sanguínea em homens e mulheres. Isso afeta positivamente o ato sexual”, observa o nutricionista George Guimarães, diretor da Nutriveg.
 

Abaixo você confere alguns dos alimentos vegetarianos que possuem propriedades afrodisíacas.
 

  • Pimentas

Elas de fato apimentam a relação e são verdadeiros afrodisíacos, principalmente para as mulheres. Ao comer pimentas caiena ou malagueta, por exemplo, elas poderão ajudar no relaxamento da vagina. Mas qualquer que seja a pimenta, ela produzirá endorfina – outro neurotransmissor que dá aquela prazerosa sensação de bem-estar.

 
 

  • Morango

Talvez ele seja um dos símbolos da sedução por causa da vitamina C – importante para a produção de hormônios sexuais e de neurotransmissores. Pesquisadores da Universidade do Texas descobriam que homens que consomem pelo menos 200 mg de vitamina C por dia, aumentaram a produção e a motilidade de espermatozoides.
 
 

  • Oleaginosas

“Elas são ricas em arginina, que induzem a vasodilatação melhorando a circulação e, portanto o prazer sexual”, diz a nutricionista Dra. Natália Colombo. E vale qualquer tipo de castanha: de caju, do Brasil, amêndoa, nozes, amendoim…
Aliás, elas também são ricas em zinco.
 
 

  • Semente de abóbora

Rica em zinco, que aumenta a produção de testosterona, e magnésio, que estimula a vasodilatação, a sementinha também previne problemas na próstata.
 
 

  • Gengibre

O gengibre melhora a circulação sanguínea e dá uma mão ao sistema nervoso, por isso ele pode melhorar o desempenho sexual dele e dela. Mas em excesso prejudica os receptores da testosterona e aumenta o fluxo menstrual.

 

 

 

Descubra os outros 13 alimentos vegetarianos que possuem propriedades afrodisíacas na Revista dos Vegetarianos edição 77.

 

Esse trecho foi retirado da Revista dos Vegetarianos, seção Especial, edição 77.