O novo Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde vem com uma boa notícia para veganos e vegetarianos. Publicado no mês de novembro, será distribuído em escolas e hospitais gratuitamente. Nele, o governo alerta para os prejuízos à saúde e ao meio ambiente que o consumo de alimentos de origem animal pode causar, além de admitir que a alimentação vegana é saudável.

O último Guia havia sido lançado em 2006 e era muito diferente do atual. O novo material foi atualizado por pesquisas oficiais publicadas ao longo dos anos em todo o mundo e trata a alimentação sem nada de origem animal de forma mais natural e cotidiana. Agora, o Guia reconhece que não é necessário consumir carne, laticínios, ovos ou qualquer ingrediente de origem animal para ser saudável.

No entanto, o material insiste que uma alimentação vegetariana/vegana deve ser acompanhada de cuidados na hora de combinar os alimentos, conforme mostra o trecho a seguir, retirado da página 84: “Embora o consumo de carnes ou de outros alimentos de origem animal, como o de qualquer outro grupo de alimentos, não seja absolutamente imprescindível para uma alimentação saudável, a restrição de qualquer alimento obriga que se tenha maior atenção na escolha da combinação dos demais alimentos que farão parte da alimentação. Quanto mais restrições, maior a necessidade de atenção e, eventualmente, do acompanhamento por um nutricionista.”

A questão ambiental também está presente no material feito pelo Ministério da Saúde. Existem trechos afirmando que a diminuição da demanda por alimentos de origem animal reduz o efeito estufa, os desmatamento causado pela criação de áreas de pastagem, e o intenso uso de água. Outros problemas como o estresse dos animais, a contaminação do solo e de lençóis freáticos por dejetos e as monoculturas de soja e milho usadas para alimentar os animais também tiveram destaque.

O Guia Alimentar para a População Brasileira é um documento muito importante e serve como base para formar a opinião de milhares de profissionais de saúde como médicos e nutricionistas.

Via Vista-se