Autor: Viviane Pereira

 

  • Origem

O limão tem sua origem na Ásia – como a maioria dos frutos cítricos – entre a Índia e o Himalaia. Acredita-se que foi levado pelos árabes para a Europa, chegando à Espanha no início da Idade Média. Alguns afirmam que os gregos e romanos não conheciam o fruto. Entretanto, parece haver indícios de que os romanos já usavam o limão como medicamento antes deste chegar à Europa, com os árabes.

No auge das grandes navegações, no século 16, chegou às Américas pelas mãos de portugueses e espanhóis. Tornou-se popular no Brasil quando o País foi atingido pela Gripe Espanhola, em 1918. Com a dificuldade de acesso a remédios, especialmente pela população carente, o limão era um recurso natural contra a gripe e por isso era vendido a preços altíssimos.

 

  • Nome

Esse fruto do limoeiro é chamado cientificamente de Citrus limon. Seu nome vem do persa limú ou laimún e do árabe limún ou leimun. A palavra latim citrus, embora englobe as plantas da família Rutácea – como laranja e lima –, é também usada como sinônimo de limão. Pelo mundo, o nome do fruto aparece em muitas línguas como derivado da designação científica, com o lemon do ingês, limón ou citrón do espanhol, citron em francês e dinamarquês, limon em turco, limone em italiano, limona em esloveno, cytrina em polonês e zitrone em alemão.

Com cerca de 70 variedades, as mais conhecidas no Brasil são o limão-galego, limão-cravo, limão-siciliano e limão-tahiti. Esse último é a espécie com maior valor comercial. Segundo a cientista Conceição Trucom, especialista no tema, o limão-tahiti é um fruto híbrido da lima da Pérsia com o limão-cravo, sem sementes. “Por ser um híbrido, muitos não consideram o limão-tahiti um limão, mas uma lima, tanto que em inglês esta variedade chama-se lime, enquanto o limão-siciliano é chamado lemon”, explica.

 

  • Propriedades Nutricionais

A nutricionista Natalia Chede avisa que por ser rico em vitamina C e ácido cítrico, o limão estimula a absorção do ferro não-heme pelo organismo, se consumido na mesma refeição. “Isso é especialmente interessante para os vegetarianos, que necessitam exclusivamente desse tipo de ferro para garantir seus níveis adequados no organismo”, diz.

Ela acrescenta que o fruto ainda ajuda a estimular o sistema imunológico, e tem efeito bactericida e antibiótico. “Importante lembrar que a maior parte dessa vitamina encontra-se na casca, e não no suco do limão.”

 

  • Propriedades Medicinais

O limão pode trazer muitos benefícios à saúde. A nutricionista Natalia explica que há no fruto uma substância chamada d-limoneno, princípio ativo também presente em sua casca, que ajuda no combate à ansiedade, à depressão, ao câncer, além de dissolver cálculos renais e desentupir artérias. “Ele é também um poderoso desintoxicante e alcalinizante do organismo, além de ser rico em bioflavonóides, compostos com poderosa ação antioxidante”, avisa Natalia

Em seu site www.docelimao.com.br, a química Conceição Trucom enumera as diversas vantagens medicinais do fruto, não só para tratamento, mas como medicina preventiva, citando a Terapia do Limão ou Citroterapia, com sucos desintoxicantes. Classificando o poder do limão como incomparável, ela aconselha seu consumo diário como “elixir da vida”, mas ressalta que é importante usar o alimento fresco – não suplementos artificiais. Conceição indica suas vantagens para a vitalidade, ativando o sistema imunológico e desintoxicando e limpando fígado, rins, pulmões, intestinos e pele.

Há mais de cinco anos estudos apontaram a possibilidade de o limão ser utilizado para destruir o HIV, o que tem levado a testes para o desenvolvimento de uma solução à base do fruto.

A Medicina Ayurvédica reconhece os benefícios do limão utilizando-o na prevenção e tratamento de diversas doenças. Uma das recomendações é a ingestão de um copo de água com suco de meio limão em jejum, para limpar o organismo e preparar o sistema digestivo para a alimentação.

 

Esse trecho foi retirado da Revista dos Vegetarianos, seção Alimento do Mês, edição 41.